Gestão financeira para MEI

Sabemos que a parte financeira é um dos pilares mais importantes para a sobrevivência de uma empresa. Saber administrar esta área envolve algumas atitudes estratégicas que podem melhorar seus resultados.

1. Faça um bom planejamento financeiro

Planejar é a base de qualquer empreendimento e quando se trata do planejamento financeiro, é essencial que você esteja sempre fazendo a projeção dos gastos da sua empresa, para ter uma base do que você pode investir, do seu faturamento e do seu lucro.

Tenha uma projeção dos seus gastos de curto e longo prazo e as possíveis entradas de dinheiro para fomentar esse planejamento da maneira mais realista possível.

2. Mantenha todos os gastos e lucros registrados

O que você anota, você não esquece. Ter todos estes dados registrados te ajudam a saber o destino que você está dando para o seu dinheiro e também dispõe da possibilidade de realinhar os desperdícios, caso hajam.

Você pode adotar algumas ferramentas que te auxiliem nesse processo: softwares de gestão financeira, Trello e planilhas no Excel e até mesmo um caderno.

3. Faça o mapeamento dos processos

Mapear os processos, além de ajudar na organização, economiza o tempo dos seus colaboradores. Ter as atividades da sua empresa bem alinhadas, independente da área, garante uma gestão mais eficiente e menos propícia a erros.

O alinhamento estruturado das tarefas, garante que a tanto a efetuação quanto a correção (caso necessária).

4. Não misture finanças pessoais e empresariais

Esta situação é muito comum entre novos empreendedores, mas misturar as finanças pode atrapalhar o resultado. O ideal seria que o empreendedor abrisse uma conta apenas para sua MEI, uma conta jurídica que não envolvesse suas finanças pessoais.

Misturando suas finanças você não consegue ter controle de todas as suas movimentações e nem contabilizar veemente seu capital de giro.

5. Otimize seus processos

A vantagem dos avanços tecnológicos são as diferentes ferramentas que você pode utilizar para otimizar seus processos empresariais. Muitas vezes o tempo gasto para efetivar uma tarefa (considerando o valor da sua hora) é maior do que um produto de pagamento mensal.

6. Alguns termos relevantes para uma gestão financeira eficiente

Capital de giro

É a reserva de dinheiro necessária para dar continuidade a sua empresa, uma quantia financeira que assegure a compra de matéria-prima necessária para a produção do seu produto.

É importante que você tenha um valor “interessante” para qualquer eventualidade que possa ocorrer na sua empresa.

Custo

Custos são os recursos financeiros que você utilizou para fazer o seu produto final ou a mão de obra para executar um serviço. Algumas contas que entram nessa categoria são os impostos, encargos trabalhistas, compras de matéria-prima e frete, por exemplo.

Investimento

É o valor que você precisa para iniciar o seu negócio. Faça uma estimativa do quanto você precisará para começar e gerir o seu negócio. Neste investimento também entra o valor que você disponibilizará para o seu capital de giro.

Contas a pagar e receber

Este é um dado que deve ser organizado semanalmente ou mensalmente, dependendo do modo como sua gestão financeira funciona. Como o próprio nome diz, você deve adicionar os valores a pagar e os valores que você tem a receber.

Em contas a pagar inclua as compras feitas com fornecedores, aluguel de ponto, contas de luz, gás e todo compromisso que envolva gastos para sua empresa.

No item contas a receber, deverão estar todos os pagamentos recebidos/pendentes pela sua prestação de serviço ou a venda dos seus produtos, neste item você informar os descontos cedidos pela sua empresa e abater das suas vendas.

Despesas

Existem dois tipos de situação em relação as despesas, as fixas e as variáveis. No caso das despesas fixas, você poderá incluir tudo o que não se altera diante da produção, por exemplo a sua conta de internet ou o valor do ponto alugado.

As despesas variáveis são aquelas que podem ser alteradas por outros fatores da produção, como contas de luz, horas extras e comissão dos funcionários.

Faturamento

É o somatório de todas as suas vendas mensais ou anuais. É deste valor que são calculados seus impostos ao governo.

Outro ponto importante é que de acordo com o seu faturamento você pode ou não se classificar como uma MEI. Para se enquadrar neste requisito, você precisa ter um faturamento de até 60mil por ano.

Lembrando que faturamento não é o mesmo que lucro, o lucro é o que sobra depois de todas as despesas e custos pagos.

Fluxo de caixa

O fluxo de caixa pode ser realizado em uma planilha ou em um sistema de gestão financeira, serve para que você faça um relatório sobre todas as entradas e saídas do capital da empresa.

Com as informações deste item, a empresa consegue fazer projeções futuras de acordo com a constância das suas transações financeiras.

Conciliação bancária

Conciliação bancária é uma comparação das contas bancárias com o sistema de controle interno das empresas. Serve para que você assegure que todas as transações foram devidamente registradas na sua planilha ou sistema de gestão.

DRE

É a sigla de Demonstração do Resultado do Exercício, ou seja, um relatório contábil sobre as atividades da empresa em um determinado período, justificado pelo confronto de receitas, custos e despesas.

Este demonstrativo aborda uma síntese dos resultados operacionais e não operacionais de uma empresa em um certo período. 

Caso queira saber quais atitudes de uma empresa de sucesso, clica aqui!

Gestão financeira para MEI

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *